História da Cirurgia Plástica

 

Iniciou no século VIII a.C. quando os indianos já trabalhavam com transplantes de tecidos. Na época a pessoa infiel era submetida a amputação nasal. Foi daí que desenvolveram a reconstrução do nariz utilizando um retalho frontal. Nele já faziam o desenho das asas nasais que eram transferidas para a região da reconstrução. Este retalho, por isto, é chamado de retalho frontal indiano.

No século 1 a.C. os romanos desenvolveram técnicas para reconstrução da orelha. Oribasius desenvolveu técnicas importantes de sutura no século XV. O nariz era reconstruído com retalho de braço. A Rinoplastia era sem dúvida o procedimento mais desenvolvido na antiguidade. A Primeira Guerra Mundial foi a alavanca para o desenvolvimento da cirurgia plástica reparadora. O desenvolvimento da anestesia geral foi fundamental no desenvolvimento da Cirurgia Plástica dando ao cirurgião a possibilidade em realizar o procedimento sem dor.

A Segunda Guerra Mundial forçou os cirurgiões a desenvolver ainda mais a especialidade pelas diferentes áreas e órgãos que se presentavam para reconstruí-los anatômica funcional e psicologicamente. Por muitos anos os historiadores hesitavam em atribuir a este ou aquele médico a primazia das operações hoje conhecidas como "queixo duplo" estiramento da face e plástica de pálpebras, porque alguns cirurgiões famosos do passado haviam avocado a si a glória de criadores destas cirurgias. Este artigo quer apresentar seu desenvolvimento até 1926 quando o famoso livro de Madame Noel veio documentar várias décadas de cirurgia original e pioneira neste campo, todavia com a possível exceção de operações estéticas nasais, a cirurgia plástica, em suas primeiras fases de desenvolvimento na América, foi provavelmente realizada por charlatães e curandeiros que se anunciavam em jornais e semanários.

Charles Conrad Miller viveu e trabalhou no coração da América, em Chicago, Illinois o epicentro do folclore americano, das canções populares, poesias populares panacéias e remédios populares. Não surpreende portanto que Chicago tenha sido o local onde,em 1903 o primeiro cirurgião plástico Charles Conrad Miller , veio pendurar sua tabuleta de médico, na State Street número 100, assim que se formou no Hospital College of Medicine de Louisville, Kentucky, em 1902. Seu talento trouxe ao seu endereço centenas de homens e mulheres em busca de juventude e beleza. Em 1906, Miller escreveu seu primeiro Artigo exclusivamente sobre cirurgia cosmética , sobre exclusão de pregas semelhantes a sacos da pele das pálpebras. No ano de 1907 Miller publicou o livro da história da medicina versando sobre cirurgia plástica . Desde 1906 ele se mostrava interessado na cirurgia estética do nariz.Miller era sem dúvida ousado, indisciplinado, imaginativo, mas também imprudente, excêntrico mas todos estes predicados levaram ao desenvolvimento da cirurgia plástica. Miller evoluiu rapidamente, publicando em 1907 números artigos e capítulos descrevendo cirurgias corretivos para pés de galinha, rugas das pálpebras, orelhas muito grandes e em abano, microtia, ponta bulbosa do nariz, ponta de nariz alongado, nariz com ponta pendente, estenose nasal, narinas largas, lábios grossos e invertidos, boca muito grande, sulcos nasais, profundos linhas de expressão facial, linhas profundas da fronte e formação de covas nas bochechas. 
Jacques Joseph, de Berlim, recua no tempo e relata que em 1912 fez cirurgia em mulher de 48 anos de rejuvenescimento facial. Joseph parece ter sido o primeiro a insistir nos aspectos sociológicos da cirurgia plástica, aspecto que não mereceram atenção dos poucos homens que escreveram antes dele sobre o assunto. Refere-se ele a aparecimento de rugas envelhecendo mulheres entre os 40 e 50 anos, rugas que amiúde interferiam nos seus trabalhos. Em 1912 sua primeira paciente, uma mulher de 48 anos expunha os problemas encontrados para alcançar um lugar nos negócios, no qual não conseguia penetrar em virtude de seu envelhecimento precoce.

Durante a Primeira Guerra Mundial, o Ministério Prussiano encarregou-o do Departamento da Cirurgia Facial. Suicidou-se com a idade de 69 anos em fevereiro de 1934, estava desanimado como judeu, pelas perseguições do Fuhrer. Das mais notáveis, a primeira médica cirurgia plástica pioneira na cirurgia do estiramento facial.

Suzanne Noel publicou em 1926 seu livro Lá Chirurgie Esthetique. Ficou um livro logo traduzido para o alemão e outros idiomas. Noel era uma cirurgia muito versátil e escrevia com estilo encantador, animado e muito feminino. Foi a primeira a demonstrar a importância das fotografias pre e pôs-operatórias que ela também mostrava a seus pacientes para encoraja-los à cirurgia.

Modernamente Converse foi sem dúvida cirurgião que editou série de livros sobre cirurgia plástica abordando desde a cirurgia estética, cirurgia crânio-facial, microcirurgia e tantos outros capítulos tão importante. Não há cirurgião plástico que não tenha sua obra na biblioteca. Atualmente há um número muito grande de cirurgiões que mereceriam constar na história moderna da cirurgia plástica. No Brasil o Prof Ivo Pitanguy foi sem dúvida o cirurgião que se consagrou pela técnica que descreveu sobre a cirurgia redutora mamaria, assim como, Rodolphe Meyer de Lausanne na Suíça que tem obras muito importantes sobre cirurgia do Nariz e da face.Tive a oportunidade de acompanhar pessoalmente Pitanguy e Meyer em suas clínicas o que foi de importância fundamental no desenvolvimento do meu trabalho como cirurgião plástica.

 

ARTIGO POR DOUTOR NELSON HELLER

ENDEREÇO

Avenida Independência, 1139/601

Porto Alegre /RS

 

FAÇA SUA MARCAÇÃO EM:

51.3110-6464

51.99931.6464 (whats)