Decisões, escolhas, mitos e resultados em Cirurgia Plástica.

 

 

A escolha do cirurgião

  Atualmente o número de profissionais autodenominados de cirurgiões plásticos cresceu exponencialmente. Por várias razões e principalmente por razões econômicas, ocorreu no mercado uma inflação de oferta de serviço na área de cirurgia cosmética; a maioria sem qualificação ou treinamento. Inclusive nos Estados Unidos o número de profissionais sem a devida formação chega a casa dos 20 mil. Sou testemunha de aberrações, como por exemplo, cirurgiões que até ontem tratavam de amídalas, hoje após um curso de fim de semana, estão colocando implasntes mamários. Recentemente acompanhei o meu filho ao dentista e notei que na sala de espera estava sendo oferecidos serviços como rinoplastia, otoplastia e facelift. Pela rádio, ouvi uma médica que tinha o treinamento em saúde pública, e estava agora oferecendo aplicações do Botox.

  Pergunto como isso é possível? Quanto às autoridades, não há controle.

  Como então escolher um bom profissional em Cirurgia Plástica?

  Você como paciente, deve em primeiro lugar verificar a qualificação do médico. Teve ele um treinamento adequado em Cirurgia plástica? O serviço em que recebeu a sua formação foi credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica? A Sociedade exige ao médico inicialmente um treinamento de dois a três anos em cirurgia geral. Então, após um rigoroso exame escrito e oral, ele será escolhido ou não a prosseguir num programa de residência com a duração de dois a três anos em Cirurgia Plástica. No final deverá se submeter a uma série de provas escritas, oral e apresentação de trabalho para então, ser aprovado a receber o certificado de Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica que hoje conta com mais de cinco mil sócios.

  Além da qualificação do médico, uma ótima indicação é aquela feita por amigos, que tiveram uma boa experiência e bons resultados.

  Ao fazer a primeira consulta é importante que você goste do médico, que haja uma empatia mútua e entendimento. O bom relacionamento médico-paciente é fundamenta para que a experiência seja positiva.

  Informe ao médico o que você deseja, o resultado que gostaria de obter.

  É importante entender quais são os resultados possíveis de conseguir e as complicações.

  Se o profissional der evasiva sobre complicações, é um mau sinal. Se afirmar que nunca teve complicações, que não haverá cicatrizes, e que você não deve se preocupar, que tudo vai dar certo, escolha um outro profissional.

  Se nos últimos 20 anos você desejou fazer uma cirurgia de nariz e ao sair do consultório médico você foi agendada para ser submetida a uma lipoasporação de culotes, algo está muito errado.

  Se você desejar fazer somente uma otoplatia para orelhas em abano e for pressionada para fazer cirurgia da mama, abdômen, e facelift, fuja.

  Se for oferecido a você que tem 30 anos de idade uma facelift preventivo para rugas que você não tem e a pele esta em excelentes condições, esteja em alerta.

A escolha do local de atendimento

  Na grande maioria de cirurgias plásticas, não existem maiores problemas. No entando, a clínica ou hospital em que a sua cirurgia será realizada deve ter de antemão todos os recursos para uma eventualidade. Isso inclui a construção apropriada, o instrumental necessário para a urgência, e especialmente pessoal treinado para tais ocorrências e em número suficiente.

  Analise primeiro o prédio. Se ontem foi foi uma garagem e hoje é uma sala cirúrgica, cuidado. Se o elevador for tão minúsculo que não cabe uma maca, imagine ser levada nos braços de alguém por dez andares em uma urgência.

  Veja a distância da clínica ao hospital mais próximo. Em caso de necessidade você não terá tempo de atravessar o Atlântico para chegar a uma Unidade de Tratamento Intensivo! Se a cirurgia for realizada em uma Spa e este estiver no Pantanal, como será feito o transporte para o hospital mais próximo? E vai dar tempo?

  Pergunte sem nenhuma esxitação ao sei médico todas as suas dúvidas, em caso de dúvida em relação à segurança, sugira outro local.

  Seja qual fora escolha de local, peça ao seu médico que você gostaria de fazer um tour para conhecer as instalações.

A decisão de quando fazer a cirurgia

  Quando fazer a cirurgia, no verão ou no inverno? No sul ninguém se opera no verão por causa do sol. No norte não tem inverno, tem sol o ano inteiro e as cirurgias são feitas nos 12 meses. Após a cirurgia não se deve expor as cicatrizes ao sol para evitar a hiperpigmentação. Elas devem ser protegidas com filtro solar de FPS acima de 30.

  Se você tiver uma viagem iminente, ou acontecimento familiar importante, e o período de pós-operatório coincidir, programe a sua cirurgia para depois. O máximo de tranquilidade e tempo disponível para visitas médicas, curativos e cicatrização serão importantes.

  Fazer uma cirurgia e duas semanas após iniciar um cruzeiro de navio, pode resultar em que você esteja sem cuidados médicos, em caso de uma complicação, em um lugar inacessível.

  Se você pretender escalar o monte Everest, deixe a sua cirurgia para depois.

  Um colega de especialidade me contou sobre um caso em seu consultório em que uma mãe se preparando para a festa de casamento do filho resolveu ir a um médico não qualificado para melhorar as suas rugas faciais dois dias antes da festa, com aplicação do Botox. A senhora não conseguia abrir suas pálpebras.

  A injeção foi feita inapropriadamente causando a paralisação temporária. A solução foi manter os olhos abertos com esparadrapo; assim ela foi ao casamento, claro que com óculos escuros!

 

Os mitos em relação a cirurgia plástica

  Diariamente você será bombardeada com informações vindas da mídia sobre cirurgia plástoca. Como paciente se torna difícil saber o que é real.

 Primeiro, cirurgia plástica não deixa cicatrizes! Por melhor que for o cirurgião SEMPRE permanecerá uma cicatriz. Claro que o bom especialista sabe camuflar muito bem a cicatriz, fazê-la o menos visível. No entanto, a não ser em cirurgia fetal e nas primeiras semanas de gestação onde não ficam cicatrizes, todas as outras cirurgias deixam a sua marca. 

  Segundo, você pode "economizar" na anestesia se fizer múltiplos procedimentos ao mesmo tempo. Quanto maior a combinação de cirurgias, mais treinamento é exigido do cirurgião e equipe, maior o tempo de recuperação e riscos de complicações.

  Terceiro, a cirurgia plástica sem cirurgia. Tenho lido esta incongruência inclusive em revistas de bordo internacionais. Tenho agora pacientes exigindo cirurgia de mama sem cirurgia!

  Quarto, o Botox pode ser usado para prevenir rugas. Vi em congresso essa aplicação em jovens de 30 anos, sem nenhuma ruga facial. A aplicação não é só desnecessária, mas cara, e dura aproximadamente quatro meses.

  Quinto, cirurgia plástica é diferente das outras cirugias, e não existe perigo. Seria como uma visita ao cabeleleiro. Na realidade, é uma cirurgia que pode ser tão grave como as outras, com consequências sistêmicas importantes e inclusive consequências psicológicas. 

  Sexto, para cirurgia plástica não tem problema de continuar fumando. Pura mentira! Pode causar sério dano a pele do facelift e da abdominoplastia. Aumenta em 10 vezes o risco de complicações, retarda a cicatrização e pode causar problemas anestésicos e pulmonares. E não adianta diminuir para dois ou três cigarros por dia, que tem os mesmos efeitos negativos do que 30 cigarros!

Os resultados

  Os resultados, maioria das vezes, são muito bem apreciados pelos pacientes. A mudança positiva de atitude em relação à vida por parte do paciente é significativa.

  Uma pequena minoria de pacientes tem uma expectativa irreal quanto aos resultados. Nunca ficam satisfeitos, pois tem uma distorção de sua imagem corporal. Cirurgias nestes pacientes devem ser evitadas.

  Quanto à permanência dos resultados, em algumas cirurgias são definitivas como na otoplastia e rinoplastia. No facelift, a ação da gravidade, a exposição solar e o fumar vão ter um efeito negativo importante e diminuir a durabilidade da cirurgia. Nos implantes mamários duráveis, a idade é de aproximadamente 10 anos. Nas cirurgias para ptose mamária se ocorrer uma gravidez, a ptose vai reaparecer.

Conclusões

  Finalmente, para você obter o melhor resultado em uma cirurgia plástica deve se instruir ao máximo para poder fazer a melhor escolhar, decidir o momento apropriado, ter uma expectativa realista e saber reconhecer o que é ficção.

 

 

ARTIGO RETIRADO DO LIVRO: CIRURGIA PLÁSTICA, INFORMAÇÕES CIENTÍFICAS PARA O LEIGO, TENDO COMO EDITOR O DOUTOR NELSON HELLER.